22 de agosto de 2013

Psicologia das Cores | As cores e sua percepção

A psicologia das cores é o estudo que mostra a forma como nosso cérebro identifica e transforma as cores em sensações. A influência das cores pode ser observada na publicidade, na decoração de casas e escritórios, na moda, na maneira como gostaríamos de ser vistos, entre outros.
História da psicologia das cores
Os primeiros estudos tiveram inicio em 1666, quando Isaac Newton descobriu que a luz branca, ao passar por um prisma, separava-se em diversas cores. Mais tarde descobriu-se que a mistura e suas combinações resultavam em outros tons: o amarelo é a combinação do vermelho e do verde, por exemplo.
Prisma de Isaac Newton para dispersão da luz branca
Porém, foi o alemão Johann Wolfgang Von Goethe que criou a “Teoria da Cor” como a conhecemos. Segundo o cientista, a cor não depende somente da luz e do ambiente, mas também da percepção que temos do objeto.
A identificação dos tons é subjetivo, porém os efeitos das cores são universais. As cores quentes como o vermelho, amarelo e o laranja são dinâmicas e estimulantes. Já as cores frias (azul, roxo e verde) possuem propriedade calmante, são suaves e estáticas.
Aos olhos do design as cores são fundamentais para a composição de um layout e, se bem aplicadas, tornam-se um atrativo e proporcionam maior eficácia ao material. É importante ressaltar que os estímulos proporcionados sofrem alteração de acordo com sua aplicação e combinação. O conceito de contraste é muito bem utilizado pelos profissionais, enriquecendo ainda mais as peças de comunicação. Porém, para que as cores sejam trabalhadas de forma eficiente, é necessário observar: a relação da cor com o tema; a ordem de leitura da página; o perfil do público alvo; os objetivos da comunicação; entre outros.
Significado das cores
O significado das cores e suas sensações
via printi

Nenhum comentário: