7 de julho de 2014

Não é difícil cultivar um networking de qualidade

Ao contrário do que possa parecer, ser popular e ter vários contatos não caracteriza uma boa rede profissional. Qualidade vale mais do que quantidade. Aja com sinceridade, selecione, fale (não demais) e esteja visível.

É cada vez mais importante desenvolver uma estratégia para a evolução da carreira. Com toda a voracidade do mercado de trabalho atual, os profissionais, ao mesmo tempo em que buscam o conhecimento e a informação, precisam manter e cultivar sua rede de relacionamentos, ou networking.
Com a internet, aumentaram as possibilidades do networking profissional. Conhecer profissionais da sua área de atuação nunca foi tão fácil quanto é hoje. Com as redes sociais e meios de comunicação online, abre-se um canal de comunicação direto entre os mais diversos níveis organizacionais e culturais. As barreiras da concorrência, dos continentes e até mesmo do preconceito caem e a troca de informação prevalece.
Embora existam várias facilidades, para que o networking seja efetivo é preciso ter alguns critérios. Ao contrário do que muitos imaginam, ser popular e ter vários contatos não é a principal característica de um bom networking profissional. Para a carreira, o networking é meio de contato das pessoas certas para o momento certo. Não é a quantidade de pessoas que você conhece que fará da sua, uma boa rede de relacionamentos, mas sim a qualidade dos seus contatos.
Seguem algumas dicas e sugestões para cultivar e manter um bom networking de qualidade:
Selecione os contatos: procure manter contato com pessoas que sejam realmente relevantes para o seu desenvolvimento profissional. Não deixe de fazer colegas e amigos. No entanto, esqueça aquele colega de curso que pediu seu e-mail apenas para enviar piadas e correntes. Ele não quer nada além de ser popular.
Esteja visível: ser encontrado é uma forma fácil de ser lembrado. Portanto, ressalto aqui novamente a importância da reputação online. Ter um blog ou um perfil no LinkedIn é fundamental para o networking. Hoje é muito comum a troca de e-mails em cursos e eventos, para isso tenha um cartão de visita em mãos para facilitar.
Organize sua rede: ter seus contatos espalhados gera confusão e pode causar embaraços. Por isso, mantenha os dados das pessoas que você conhece em um único lugar. No celular ou no computador, não importa. O que interessa é que esses dados precisam ser facilmente acessados e atualizados.
Seja sincero: manter uma aparência é algo muito difícil e requer muito jogo de cintura. Portanto, seja sempre sincero. Você não sabe quando será a próxima vez que vai entrar em contato com aquela pessoa e muito menos quem são os contatos dela, por isso mentir pode ser um risco muito grande de ter seu “filme queimado” em uma rede.
Não fale demais, mas fale: as pessoas, em geral, não gostam daqueles que tomam contam das conversas e falam de tudo e por todos. Em uma roda de desconhecidos, fale o necessário para ser notado e para que seu conhecimento seja visto. Esqueça a timidez e o medo de errar, mas não abuse.
Jamais fale mal dos outros: seja na internet ou pessoalmente, evite ao máximo falar mal de outras pessoas. Nem todos pensam da mesma forma e obter desafetos é prejudicial para o networking.
Aplicando esses princípios aliados à afinidade pessoal e um pouco de sorte, com o tempo você certamente estruturará uma boa rede de relacionamentos. Networking requer tempo e é uma estratégia de carreira. Lembre-se que ter poucos contatos não é sinônimo de networking ruim.
autor: Guilherme Tossulino

fonte: Webinsider

Nenhum comentário: